16 de janeiro de 2007

O reconciliamento do homem com a vida..

"Todos consideramos o belo como belo
é nisso que reside a sua fealdade
Todos consideramos o bem como bem
é nisso que reside o seu mal.

Porque o ser e o nada engendram-se
O fácil e o dificil complementam-se
O longo e o curto formam-se um pelo o outro.
O alto e o baixo tocam-se.
A voz e o som harmonizam-se
O antes e o depois sucedem-se.

Por isso o santo adopta
a táctica do não agir,
e practica o ensino sem palavras.
Todas as coisas do mundo surgem
sem que ele seja o autor.

Produz sem se apropriar,
age sem nada esperar,
acabada a sua obra, a ela se não prende,
e porque a ela se não prende
a sua obra permanecerá"

lao tse

Uma filosofia de vida, numa sociedade onde nenhuma existe.

4 comentários:

Jones disse...

Lao Tse é um dos maiores pensadores da história da China e, embora tenha vivido uns séculos antes de Cristo, influenciou o seu país e tranformou-o naquilo que é hoje. tem muito a ensinarnos e, por isso, celebro esta iniciativa da minha mui cara leitecreme

Anónimo disse...

“All propaganda has to be popular and has to accommodate itself to the comprehension of the least intelligent of those whom it seeks to reach.”

Adolf Hitler


Se querem citar ao menos citem alguem de jeito

Anónimo disse...

Como leitor atento deste blog, respeitanto tudo o que é dito e, até, admirando muito muitos dos aspectos referidos e a forma como o são, não posso deixar passar este post. Não tenho dúvidas quem é uma citação bonita, bem escolhida e bem enquadrada, contudo, não consigo entender a razão pela qual o autor diz que na sociedade actual dos post não existem filosofias de vida. Se me é permitido, e julgo que sim porque é um blog de livre acesso, gostaria de emitir a minha opinião. Nos tempos que correm, vivemos num mar de filosofias de vida diferentes, maneiras de estar e ser totalmente diversificadas, maneiras de sentir e agir alternativas, maneiras de encarar a vida muito variadas, mais do que no passado. Claro está que, para mim, isto tem uma explicação que no meu entender parece lógica: hoje temos uma sociedade mais livre, mais "ampla" na medida em que as oportunidades e a oferta de escolhas e opções a tomar são cada vez mais e, assim sendo, um indivíduo, gozando de total liberdade e ponderando com a sua própria consciência, vê-se obrigado a optar por um caminho, no meio de um cruzamento de infinitos caminhos. A sociedade é, hoje, mais tolerante e incentiva mais à existência de um leque de múltiplas filosofias de vida. Não é o facto das pessoas se vestirem da mesma forma, de fazerem as mesmas coisas, nos mesmos sítios, falerem da mesma maneira, etc que perdem a sua individualidade ou deixam de ter uma própria filosofia de vida uma vez que esta se traduz apenas nos caminhos que toma. Mesmo que assim fosse, que a roupa e as acções definissem alguém, existem aqueles que optam por um estado mais livre de alma e que o expressam vestindo-se "pior", por andarem pelo mundo à deriva...estas pessoas existem, mas serão elas as únicas que "se libertam" da sociedade tão modeladora de personalidades? Acho que não! Também não podemos esquecer que já no passado as pessoas se vestiam da mesma forma e frequentavam os locais da época, os Homens são assim porque, quer queiramos quer não, o conceito "moda" existe e sempre existiu no seu sentido mais amplo. Sendo assim, porque é dito que "Nesta sociedade não existe nenhuma filosofia de vida?". Gostava que o autor me respondesse para, assim, trocarmos pontos de vista e enriquecermo-nos mutuamente. Obrigado

Anónimo disse...

és um bocado Nerd também